Translate

sábado, 17 de março de 2018

CONTEXTO


Lá fora o mundo gira, as cabeças giram, copos cheios e vazios garçons transitando entre as mesas e todos felizes, contentes comemorando com diversos motivos ou sem motivos mesmos mas pelo simples fato de estarem vivos e fazerem parte de uma história bem contada que é a vida, perguntando a uma aluna minha, universitária de letras se sabia contar histórias ela foi enfática em falar que não sabia contar, então pedi para comentar com a turma do seu acordar até aquele momento, empolgada com a narrativa do seu dia nos contou a mais linda história que eu já ouvira, com detalhes dramáticos, cômicos, aterrorizantes com início, meio e fim, ao término todos os alunos a aplaudiram, a nossa existência é a história mais linda que narramos, mesmo sendo o protagonista dela, alguns com uma tristeza a torna trágica fazendo de suas vidas um caus, eternizando uma desgraça, outros comicamente a tornam alegres e engraçadas levando-a como bem quer, tem aqueles taciturnos cansativos até em seus pensamentos não aproveitando um segundo sequer dos rápidos momentos que em terra vivem, todos estes personagem reais procura m de um modo ou outro a felicidade porque é uma falta de capacidade e gerencia passarmos por aqui sem sermos felizes a vida é uma mordomia constante é uma busca frenética para o possível, encontramos montanhas e temos que transpô-las, não subindo ou pulando-as mais contornando-as para alcançarmos o lado desejado, isto é gerencia de mordomia é história eternizada, é marcar no tempo carimbando uma existência, demarcando e fincando uma bandeira que leva a marca fazendo com que a história não se extinga e em seu texto sempre vemos um contexto, ressalto os poetas-escritores: Catiaho Alcantara, Silvio Afonso de Macedo, Quito Arantes, Toni Lima, Maria Gorete, Alcimar Ribeiro de Paula, Paulo Coelho, Edson Marques, Mário Quintana e ouros detentores das palavras que escrevem a cada dia seus nomes, cravando em nossos peitos seus textos, não estereotipados mais profundos enraizando fazendo com que vidas insípidas tornem saborosas com paladar e aroma próprio com uma identidade visível sendo visto não em um contexto mais no texto de uma história linda de vida, vivamos anos, meses, dias, horas, minutos e segundos como se fosse um presente nos oferecido sem merecimento algum.
LAMPEJOS POÉTICOS – ALCLEIR ALCANTARA – 10/02/2012
10 de fev de 2012

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

NUVEM




       A vida pertence aos fortes, aqueles que vivem ao sol, não aos que sobrevivem a sombra. Na sombra qualquer nuvem passageira encobre seus rastros apagando sua existência deixando-o invisível,.
HÁ pessoas que querem ter sem ser, pensam piamente que são menosprezando com sua simples presença sem mesmo emitir qualquer tipo de som, com um inesperado gesto já ofendem. Estas sim são sombras dignas de viverem a noite para que a escuridão não a reflita não dando  oportunidade de deixar qualquer rastro demarcando sua passagem. A vida é muito mais do que o prato de comida que comemos, as roupas que vestimos ou mesmo o local que moramos. A vida tem que ser saboreada com prazer, avidez, sofreguidão. precisa ser  degustada a cada milésimo de segundo afim de que não se perca nada e mesmo assim deixamos escapar algo não percebido, isso por sermos meros mortais.
         Hoje dia das crianças alguns tem algo a comemorar e como tem! Outros porém estão neste momento se derramando em lagrimas dolorosas. Essa é um tipo de nuvem que sempre esperamos não ficarmos sob ela, todos nós temos ou já tivemos nossas nuvens sobre a cabeça, de um jeito ou de outro nos esquivamos saindo dela. 
        Só os que amam a vida buscam forças para transpô-la e com honra e galhardia erguem a fronte e seguem em frente sabendo que está propenso a novas experiências.

ALCLEIR ALCANTARA- LAMPEJOS POÉTICOS – 12/10/2013 -  04:00 hs.